Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/tribuna/public_html/antigo/files/contador.php on line 19
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2018
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Agência Sertão
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Deputada Ivana Bastos
Portal Alô Pilões
 
a a a
 
Filme brasileiro debate incesto gay
 
Segunda, 11 de Maio de 2009  
 

A Arte estará sempre na vanguarda de seu tempo e o Cinema nacional promete um importante passo rumo aos necessários debates que se alinham no horizonte de nossa sociedade moderna. Nas próximas semanas o público brasileiro será brindado com a estréia de “Do Começo ao Fim”, o novo longa-metragem do brilhante cineasta Aloizio Abranches, com produção de Marco Nanini e Fernando Libonati e estrelado por um elenco com nomes do calibre de Julia Lemmertz, Louise Cardoso, Fábio Assunção e Jean Pierre Noher, com destaque especial para os protagonistas Rafael Cardoso e João Gabriel Vasconcellos, que dão vida aos irmãos Thomás e Francisco na vida adulta, e os pequenos Gabriel Kaufmann e Lucas Contrim, vivendo-os na infância.

Em cena, o amor incondicional entre dois irmãos desde os primeiros dias de vida. E não estamos falando aqui de um amor apenas fraternal. É um filme sobre o Amor de verdade, em todas as suas acepções, tratado com extrema delicadeza e uma sensível compreensão jamais vistos no Cinema nacional. E que fique bem claro que não estamos diante de uma fábula. “O filme é o retrato de uma família que incorpora uma novidade”, perfeita tradução de Aloizio Abranches e que já dá sinais claros da serenidade e grandeza empreendidos na concepção da obra.

Aliás, classificar o filme como sendo de temática gay ou apenas a narrativa de uma polêmica paixão incestuosa é, certamente, apequená-lo. É fato que estamos falando de um grande tabu e de um assunto capaz de causar impacto na plateia quando o longa chegar aos cinemas. No entanto, é importante ressaltar que “Do Começo ao Fim” é uma obra-prima maior que qualquer rotulação. Sua narrativa está fundada no livre arbítrio de uma família ao compreender o Amor entre dois irmãos como uma possibilidade e a sensibilidade de permití-lo como um fundamento primeiro de civilidade, respeito e dignidade. Não é todo dia que podemos apreciar tamanha lição de vida.

Para se ter uma ideia de como esse delicado assunto recebeu especial tratamento, basta observar o tom poético com que a história se descortina ao público. Thomás nasce com os olhos fechados e assim permanece durante várias semanas. Sua mãe, Julieta, eixo fundamental da trama, não se preocupa e diz que “quando o filho estiver pronto, quando ele quiser, ele abrirá os olhos”. Eis que quando Thomás decide abrir os olhos, sua primeira visão é seu irmão de 6 anos, Francisco. O amor à primeira vista, esse amor romântico tão cantado em prosas e versos, ganha uma tradução cinematográfica tocante e apropriada e que permeará a emocionante história desses dois irmãos que, acima de qualquer laço, se amam incondicionalmente. São dois homens vivendo um amor libertário, cujos sentimentos estão enraizados na profundidade de suas almas.

Mas e a paradoxal e dogmática visão que essa impactante temática pode provocar, onde fica? É preciso deixar claro que o filme não é sobre qualquer sentimento de culpa que tal dimensão possa causar. Porém, “não deixa de apresentá-lo”, como revela a atriz Julia Lemmertz. É possível observá-lo em uma irreprimível sequência onde os já adultos Thomás e Francisco estão abraçados, deitados na cama. Francisco diz –  “Eu te amo!” –  e Thomás questiona –  “E por que você me ama?” A resposta de Francisco é sonora e objetiva – “Eu te amo porque você é meu. Eu te amo porque você precisa de amor”. Quando Thomás também diz que o ama, recebe a mesma pergunta de seu irmão. Sua resposta é uma verdadeira elegia à realidade: – “Eu te amo porque, pra entender o nosso amor, seria preciso virar o mundo de cabeça pra baixo”. Tudo isso embalados pela trilha sonora de Davi Moraes. Preciso dizer mais alguma coisa?!

A quem interessar possa, o trailer do filme “Do Começo ao Fim” já está disponível no site da Pequena Central (www.pequenacentral.com.br), produtora de Marco Nanini e Fernando Libonati, responsável por esta obra que tem tudo para consagrar definitivamente o Cinema nacional entre os melhores do mundo e, quem sabe, até conquistar um sonhado e merecido Oscar. O trailer também está disponível no YouTube. Vale a pena conferir e aguardar com estoques de pipoca esse filme indispensável. O diretor Aloizio Abranches utiliza-se uma famosa citação de Bernard Shaw, muito pertinente a seu filme: “Algumas pessoas olham o mundo e perguntam: por quê? Eu sonho com coisas que nunca existiram e pergunto: por que não?” Só mesmo a Arte é capaz de colocar uma interrogação tão positiva em um dogma ancestral.

O Cinema brasileiro vem produzindo, com grata frequência, grandes obras nos últimos anos. No entanto, não é ousadia afirmar que “Do Começo ao Fim”, um marco histórico por princípio, é a produção mais ousada e sensível desde “Central do Brasil” e “Eu Tu Eles”. Num contexto internacional, o longa brasileiro promete a mesma dimensão do premiado sucesso “Brokeback Mountain” e do curta “Starcrossed”, que conquistaram plateias ao redor do mundo. Uma jóia preciosa na coroa da Sétima Arte nacional e que já é tão aguardada quanto aplaudida, além de ilustrar bem o que é e a que veio a Pequena Central. Isso sem falar na incontestável maestria de Aloizio Abranches em desnudar e compreender como poucos o que há de mais delicado e polêmico em nossa sociedade. A propósito, efusivos aplausos de pé!


HELDER CALDEIRA
Articulista Político – Rio de Janeiro/RJ
heldercaldeira@folha.com.br


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.