Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2018
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Agência Sertão
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Deputada Ivana Bastos
Portal Alô Pilões
 
a a a
 
Homem é preso com 117 kg de dinamite dentro de casa em Remanso
 
Quinta, 31 de Dezembro de 2009  
 

Uma briga de casal levou a Polícia Civil de Remanso (705 km de Salvador) a descobrir 117 kg de dinamite guardados dentro de uma residência que pertencia a Dorizar Ribeiro das Neves, 45 anos.

De acordo com a queixa prestada pela companheira de Dorizar, Sandra Gomes da Silva, os dois teriam se desentendido e ele a teria agredido e ameaçado, dizendo que iria explodir Sandra com as dinamites que tinha em casa. Dorizar está preso na cadeia pública de Remanso por agressão e ameaça à companheira e por posse de artefatos explosivos. 

A polícia encontrou na casa, onde Dorizar morava com Sandra e uma filha de 1 ano e 10 meses, localizada na Avenida Eunápio Peltier de Queiroz, a principal da cidade, cinco caixas contendo 318 bananas de dinamite.

Dorizar das Neves trabalha na Empresa EGC, que realiza as obras de saneamento no município e é responsável pela compra, utilização e transporte dos explosivos que são usados para quebrar pedras no solo e colocar os dutos. 

À polícia ele afirmou que já tem 19 anos de experiência com esse material e acreditava estar agindo de forma correta, pois achou ser mais seguro guardar os explosivos em casa do que na empresa, “onde as pessoas não tinham noção dos riscos”.

Segundo o depoimento do engenheiro de produção da empresa, Danilo Cezar da Silva Cardoso, os explosivos realmente pertenciam à empresa, mas que ele não sabia que eram guardados na casa do funcionário. 

“Ele disse ainda que não sabia se toda aquela dinamite era para ser usada apenas nas obras da cidade de Remanso ou nas demais, onde a empresa é responsável por trabalhos semelhantes”, informou o delegado de Remanso Élery Siqueira.

Os explosivos foram levados para a delegacia, de onde foram retiradas por dois representantes do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados do 72º Batalhão de Infantaria em Petrolina (PE) e por policiais civis de Juazeiro.

Conforme o subtenente Rone de Jesus Gonçalves, para que uma empresa possa comprar os explosivos, é preciso que ela tenha o Certificado de Registro (CR) que é emitido pelo Exército mediante apresentação de documentos que comprovem a natureza do trabalho como contrato com a prefeitura ou plano de fogo especificando como e onde serão utilizadas as dinamites.

“Em Juazeiro e Petrolina não existem lojas onde sejam vendidos os explosivos e essas empresas também precisam estar cadastradas junto ao Exército para ter permissão de venda”, explica.

O subtenente disse que deverá ser instaurado inquérito administrativo para apurar a situação da Empresa EGC quanto à documentação, os envolvidos serão notificados e afirma que a empresa só poderia ter autorização para armazenamento se tivesse um paiol com todas as regras estruturais exigidas para guardar os explosivos.

 

 

Cristina Laura l Sucursal Juazeiro / Foto: Ivan Cruz/Agência A TARDE


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.